Apresentação da Artinutil

“Podemos perdoar um homem por haver feito uma coisa útil, contanto que não a admire. A única desculpa de haver feito uma coisa inútil é admirá-la intensamente. Toda arte é completamente inútil.” (Oscar Wilde)

*Arte = Expressão de um ideal de beleza, concretizado em qualquer obra de gênero artístico.

*Inútil = Que não tem utilidade, desnecessário.

Esse blog tem como objetivo expor a arte nos seus variados gêneros artísticos. Vomitá-lo-ei palavras sobre essas manifestações com o intuito de contribuir para a evolução cultural da nossa sociedade.

Baseando-se no pensamento de Wilde inutilidades serão publicadas no blog, a mensagem será transmitida sem filtro, sem proteção aos olhos de quem lê, não existem palavras feias ou bonitas, certas ou erradas, morais ou imorais, as palavras serão escritas e muitas vezes não compreendidas, mas nem tudo em nossa vida será compreendido, porém, temos a necessidade de tudo explicar para tudo entendermos. Infelizmente, não entenderemos tudo, porque a nossa mente não está evoluída para assimilar o que não está nos manuais impostos por pessoas que viveram antes de nascermos e não temos a humildade de aceitar que a nossa passagem pelo mundo é curta e ínfima perante uma sociedade que caminha a passos lentos para uma evolução que não veremos.

Obrigado pela sua atenção, porém, não espero a sua compreensão.

Todas as críticas serão muito bem recebidas, pois as críticas são fundamentais para a nossa evolução.

*Fonte: Dicionário Michaelis

 Veja também: Origens da Arte Inútil

Uma resposta to “Apresentação da Artinutil”

  1. Elcio Goulart Blaya Says:

    A arte das palavras do velho mundo…………….. A Defesa de Sócrates

    Apologia de Sócrates: “Mas já é hora de nos retirarmos, eu, para morrer, e vós para viverdes. Entre vós e mim, quem está melhor? Isso é o que ninguém sabe, excepto Zeus”

    Sócrates nasceu em Atenas, cidade da Grécia, viveu de 470 a 399 a.C. Não levava uma vida quieta, negligenciou riquezas, negócios, postos militares, tribunas, funções públicas e passava a maior parte do seu tempo nas praças dos mercados e nas ruas onde conversava com todos tipos de pessoas levando-as a refletir sobre a vida e os costumes, sobre o bem e o mal.
    Para Sócrates, mais inteligente é aquele que sabe que não sabe. A grosso modo, ele defendia a ideia de que a pessoa que tem consciência de que não entende de todos os assuntos celestiais e terrenos é mais inteligente do que aquela que sabe pouco, mas que acha que sabe muito. Assim, fica que “saber que não se sabe também é uma forma de conhecimento.
    Mas sua conduta não era bem vista, pois instigava a juventude a argumentar, questionar, analisar, refletir e acima de tudo, pensar.
    O grande filósofo sempre deixou claro que a busca pelo conhecimento deveria ser direito de todos. Ele discutia com qualquer um que quisesse saborear um pouco de sua sabedoria e isso muitas vezes incomodava os poderosos (o que não é diferente hoje em dia).


Deixe a sua opinião crítica sobre o tema, compartilhamos da máxima de Voltaire: "posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las."

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: