Bobby Fischer CONTRA O MUNDO

O filme é um documentário estadunidense produzido pela HBO lançado em 2011. A história é sobre a vida do enxadrista Robert James Fischer com ênfase no Campeonato Mundial de Xadrez de 1972 e mostra a tensão e influencia da Guerra Fria além do cenário politico.

“Não sou um computador como os outros querem pensar. Botvinnik disse uma vez que calculo melhor que os demais, que sou uma máquina, um homem prodígio e também fui uma criança prodígio. Aqui não há prodígio algum. Sou meramente um homem, mas um homem extraordinário. Estudo e aprendo cada dia mais e mais, um dia hão de ser meus o carro mais caro e a casa mais bonita. Na América não há ninguém que possa comparar-se comigo. Fui campeão nacional 7 vezes o que começa a ser fatigante. Aos 14 anos fui campeão nacional, com 16 “grande mestre”, com 27 anos sou o melhor do mundo e com 28 serei declarado oficialmente campeão mundial. Meu objetivo é que ninguém no planeta saiba “mexer as peças” melhor do que eu!” – Bobby Fischer, 1971

115226110.jpg

“O xadrez é uma vida.” – Bobby

Arquitetos do Poder

O documentário Arquitetos do Poder traça um panorama das relações entre mídia e política no cenário brasileiro. Construído a partir de depoimentos e imagens de arquivo, o filme conta a história da comunicação política, desde as campanhas de Getúlio Vargas e JK até as eleições de 2006, passando pela emblemática eleição de 1989 e ilustrando a crescente influência da comunicação na política, bem como a relação da mídia nacional com os escândalos do poder.

O filme foi lançado em 2010 com direção e roteiro do Vicente Ferraz e Alessandra Aldé.

Deixe nos comentários a sua impressão sobre as relações entre a mídia e a política e a evolução no uso das técnicas do marketing político ao longo da história recente do Brasil.

Entrevista – Aldous Huxley

O Mike Wallace entrevistando Aldous Huxley em 18 de maio de 1958.

STALIN

Um filme estadunidense realizado para a televisão pelo canal HBO sobre Josef Stalin, foi lançado em 1992.

Direção Ivan Passer
Roteiro Paul Monash

Elenco:

  • Robert Duvall – Joseph Stalin
  • Julia Ormond – Nadezhda Alliluyeva
  • Maximilian Schell – Vladimir Lenin
  • Jeroen Krabbé – Nikolai Bukharin
  • Joan Plowright – Olga Alliluyeva
  • Frank Finlay – Sergei Alliluyev
  • Roshan Seth – Lavrentiy Beria
  • Daniel Massey – Leon Trotsky
  • András Bálint – Grigory Zinoviev
  • John Bowe – Kliment Voroshilov
  • Jim Carter – Sergo Ordzhonikidze
  • Murray Ewan – Nikita Khrushchev
  • Stella Gonet – Zinaida “Zina” Volkova
  • Elena Seropova – Nino Beria
  • Colin Jeavons – Genrikh Yagoda
  • Miriam Margolyes – Nadezhda Krupskaya
  • Kevin McNally – Sergey Kirov
  • Clive Merrison – Vyacheslav Molotov
  • Lisa Orgolini – Anya Larina
  • Joanna Roth – Svetlana Alliluyeva
  • Emil Wolk – Lev Kamenev
  • Aleksandr Feklistov – Leonid Nikolaev

 

Compartilhamos este vídeo para convidar as pessoas a refletirem sobre um fato tão recente e relevante em nossa história.

O RISO DOS OUTROS

Documentário
Brasil, 2012, 52 min.

Direção: Pedro Arantes

Origens da Arte Inútil

O artista é o criador de coisas belas.rafael_madonna

Revelar a arte e ocultar o artista é a finalidade da arte.

O crítico é aquele que pode traduzir, de um modo diferente ou por um novo processo, a sua impressão das coisas belas.

A mais elevada como a mais baixa das formas de crítica é uma espécie de autobiografia.

Os que encontram significações feias em coisas belas são corruptos sem serem encantadores. Isto é um defeito.

Os que encontram belas significações em coisas belas são cultos. Para estes há esperança.

Existem os eleitos, para os quais as coisas belas significam unicamente Beleza.

Um livro não é, de modo algum, moral ou imoral. Os livros são bem ou mal escritos. Eis tudo.

michelangelo-davidA aversão do século XIX ao Realismo é cólera de Calibã por ver seu rosto no espelho.

A aversão do século XIX ao Romantismo é a cólera de Calibã por não ver o seu próprio rosto num espelho.

A vida moral de um homem faz parte do tema para o artista, mas a moralidade da arte consiste no uso perfeito de um meio imperfeito. O artista nada deseja provar. Até as coisas verdadeiras podem ser provadas.

Nenhum artista tem simpatias éticas. A simpatia ética num artista constitui um maneirismo de estilo imperdoável.

O artista jamais é mórbido. O artista tudo pode exprimir.capela-sistina-by-paulo-popc3b3

Pensamento e linguagem são para o artista instrumentos de uma arte.

Vício e virtude são para o artista materiais para uma arte.

Do ponto de vista da forma, o modelo de todas as artes é a do músico. Do ponto de vista do sentimento, é a profissão do ator.

Toda arte é, ao mesmo tempo, superfície e símbolo. Os que buscam sob a superfície fazem-no por seu próprio risco.

Os que procuram decifrar o símbolo correm também seu próprio risco.

Na realidade, a arte reflete o espectador e não a vida."Highway 61 Revisited" lançado em 1965.

A divergência de opiniões sobre uma obra de arte indica que a obra é nova, complexa e vital.

Quando os críticos divergem, o artista está de acordo consigo mesmo.

Podemos perdoar um homem por haver feito uma coisa útil, contanto que não a admire. A única desculpa de haver feito uma coisa inútil é admirá-la intensamente.

Toda arte é completamente inútil.

Oscar Wilde (1854-1900)

O artista não deverá esperar o reconhecimento da sua arte, logo, se frustrará e a depressão o acorrentará, deve-se apenas expressar suas puras emoções em seu trabalho, sem nada esperar em troca, o elogio é agradável ao ego e só, mas a crítica evolui o artista perante sua arte, através da reflexão do seu trabalho.

Raul Morrison e o túmulo de Oscar Wilde em Paris.

Raul Morrison e o túmulo de Oscar Wilde em Paris.

Se hoje sou odiado e desprezado, um dia talvez, serei amado e respeitado, mesmo que já esteja enterrado.

Vários casos na história comprovam que as pessoas não estão preparadas intelectualmente ou socialmente para compreender os seus artistas contemporâneos, isso acontece porque esses artistas não estão fazendo arte apenas para agradar a sua geração, eles são visionários ao seu tempo. Estamos preparados apenas para os artistas medíocres que em nada inovam e que tratam a arte como um supermercado que realiza oferta em seus produtos de baixa qualidade para atingir a grande massa que está preocupada apenas com a sua necessidade imediata. A música de sucesso hoje, a mais pedida, será completamente esquecida por essas mesmas pessoas que hoje cantam o seu refrão ou será que estou errado? A música “Rebolation” será lembrada após séculos como a “5ª Sinfonia”? Você lembra-se de “Papo de Jacaré”?

Mas não há parâmetros para comparações entre arte, tudo é arte, o julgamento do bom ou ruim é individual e estará carregado com as influências desde os nossos primórdios de existência, julgamento esse que deve ser respeitado por todos os viventes. Você tem total autonomia de escolher a sua própria arte, a arte que desperta os seus sentimentos e emoções.

“Toda arte é completamente inútil”

Inutilidades serão publicadas, a mensagem será transmitida, sem filtro, sem proteção aos olhos de quem lê, não existem palavras feias ou bonitas, certas ou erradas, morais ou amorais, as palavras serão escritas e muitas vezes não compreendidas, mas nem tudo em nossa vida será compreendido, porém, temos a necessidade de tudo explicar para tudo entendermos. Infelizmente, não entenderemos tudo, porque a nossa mente não está evoluída para assimilar o que não está nos manuais impostos por pessoas que viveram antes de nascermos e não temos a humildade de aceitar que a nossa passagem pelo mundo é curta e ínfima perante uma sociedade que caminha a passos lentos para uma evolução que não veremos.